Distribuições

Um sistema operacional é composto pelo seu núcleo (kernel), os programas do sistema e os aplicativos. Uma distribuição, também apelidada de ‘distro’, Linux nada mais é do que o conjunto dessas três partes citadas, reunidas em um cd.

Como existem grandes variedades de aplicativos para a plataforma Linux, as empresas que são responsáveis pela sua distribuição escolhem quais softwares irão acompanhar a determinada aplicação, reunindo tudo em um cd de instalação do sistema.

Fica fácil então de compreender que as únicas partes comuns entre as distribuições são o Kernel e os programas do sistema, enquanto os aplicativos irão variar conforme cada distro.

As distribuições são mantidas por organizações comerciais ou por projetos comunitários, elas serão responsáveis por juntar os aplicativos e o kernel em um cd, testá-los e distribuí-los aos usuários.

Outra grande vantagem do Linux é o fato de que qualquer usuário, que tenha uma excelente base em programação, poderá alterar os códigos fontes e podendo assim criar sua própria distribuição. Tal fato acarretou em uma grande variedade de distribuições. Atualmente existe mais de trezentas delas disponíveis, porém as mais populares e conhecidas não passam de vinte.

Mais uma vantagem do Linux é a possibilidade do usuário poder testar o sistema sem a necessidade de instalação na sua máquina. São os chamados Live cd’s. O usuário pode executá-lo direto de uma unidade de CD-ROM sem precisar armazená-lo em seu disco rígido.

Uma das grandes preocupações de novos usuários em seus primeiros contatos com o Linux é saber responder a questão: Qual a distribuição eu devo utilizar?

Uma boa recomendação é que em um primeiro estágio, o usuário opte por uma distribuição conhecida, que já esteja no mercado há algum tempo e que existam várias listas de discussões na internet. De nada adiantará você instalar uma distribuição que você achou bacana, mas que já foi descontinuada há certo tempo. Dificilmente você achará suporte e muito provavelmente enfrentará problemas em algumas instalações. É evidente que o usuário não vai querer instalar uma distribuição em Persa ou outro idioma alienígena qualquer! Outra dica, também interessante, é que cada distribuição possuí uma particularidade diferente. Por exemplo, o Debian tem como principal característica a segurança, por isso é mais voltado para o mercado de servidores, porém nada impede de um usuário possa instalá-lo em seu desktop. Outro usuário, que goste de desafios, pode instalar o Slackware (essa distro é considerada a de maior grau de dificuldade em sua instalação) em seu desktop. Atualmente duas distribuições são conhecidas por oferecer facilidades ao usuário de primeira viagem. O Ubuntu e o Minx são voltados para usuários caseiros e sendo bem intuitivos e fáceis de serem instalados. Para você que nunca se aventurou no mundo Linux, essas duas distribuições são excelentes opções para você começar a dar seus primeiros passos.


Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Idiomas

Últimos Artigos

%d blogueiros gostam disto: