you're reading...
Brasil

Pernambuco mostra ao mundo……o que não se deve fazer !



Mais um caso de ataque de tubarão em praias recifenses acabou em tragédia. Desde o longínquo ano de 1992 já são contabilizados 56 registros de ataques com 24 vítimas fatais, embora autoridades que não quiseram identificar-se informaram que os números são pelo menos 20% maiores. O ataque a jovem paulista foi registrado pelas câmeras de vigilância da orla de Boa Viagem e alguns populares registraram as cenas chocantes através de smartphones. Bruna Silva Gobbi passava férias na capital pernambucana quando foi atacada a cerca de 50 metros da orla por um animal, provavelmente de tamanho considerável. Segundo os relatos dos guarda vidas os familiares de Bruna teriam sido avisados, momentos antes, dos riscos que o local onde a menina e sua prima se banhavam representava. Ao longo da orla de Boa Viagem placas, a cada cem metros, informam em vários idiomas que a área é sujeita a ataques desses animais. As cenas exibidas e postadas na internet são fortes. Na imagem é possível observar toda a movimentação, desde a chegada do jet ski até a retirada da menina do mar. Nos braços de um salva vidas Bruna é levada próxima ao calçadão da orla e a partir de então seguem-se uma série de falhas no resgate.


As cenas transmitidas são chocantes. Nelas é possível observar as duas meninas se afogando, uma situação que não poderia ser pior. Duas adolescentes que não sabiam nadar, banhando-se em uma área conhecidamente perigosa. Dois salva-vidas tentam chegar até as meninas a nado enquanto uma dupla chega a bordo de um jet ski. O piloto toma a direção do fundo, para resgatar primeiramente a prima de Bruna que se encontrava em pior situação. Nesse momento é possível perceber no canto da tela Bruna se debatendo muito, ela então subitamente submerge e uma poça de sangue surge destacando-se na coloração verde do mar. O piloto desiste de pegar a prima e se volta para Bruna, onde heroicamente o carona atira-se na água para resgatar a menina. A vítima é retirada da água e colocada na areia, o que já seria um erro, para aguardar a chegada do socorro. Nas cenas gravadas por populares é possível enxergar parte do osso da perna de Bruna assim como um pedaço da derme da menina balançando ao vento como se fosse uma folha de papel. Após algum tempo Bruna é levada de ambulância, que em um caso destes deveria ser um helicóptero, a um posto de saúde que não tinha a mínima condição de lidar com a situação. Algumas horas depois do fatídico ataque Bruna finalmente chega ao hospital onde tem sua perna amputada. A menina em coma não resistiu aos ferimentos e faleceu no mesmo dia.


Vamos deixar algumas coisas bem claras para a população. Tubarões não são essas máquinas assassinas que são descritas em enlatados hollywoodianos. Outro fato relevante é que seres humanos não fazem parte da alimentação destes animais, decididamente estamos fora do seu cardápio. Tubarões quase sempre são animais de grande porte, pesando vários quilos e possuidores de uma mordida capaz de triturar ossos. O animal nadando em águas turvas ao ver uma possível presa realiza a chamada “mordida identificatória”, ou seja, se aquela presa faz ou não parte do seu menu. Como já expliquei que seres humanos não são alimentos para os tubarões, após a mordida eles simplesmente vão embora, porém o estrago já está feito. Não existem notícias de seres humanos atacados por tubarões que foram devorados até o último pedaço de carne e os bichos ainda utilizaram os ossos para palitarem seus dentes..


Vale a pena uma boa explicação para desconsiderarmos alguns mitos sobre este fantástico animal. Em primeiro lugar eles estão em seu habitat natural enquanto nós seres humanos estamos invadindo o seu espaço. Outro detalhe é acharmos, erradamente como é divulgado, que tubarões confundem seres humanos (principalmente surfistas) com focas. Estamos nos trópicos, será que algum cabeça-chata do Recife já encontrou alguma foca em Boa Viagem? Tubarões enxergam muito bem e principalmente em águas escuras, revelou um estudo recente. Quanto ao fato de muitos surfistas serem as principais vítimas, reforçando a tese enganosa de que tubarões confundem esses esportistas com tartarugas, isso tem uma explicação lógica. Para se pegar uma boa onda, surfistas entram mais para o fundo do que um banhista normal, precisa explicar o resto?


Mas as praias do Recife eram tão tranquilas até meados dos anos 90, quando começaram a série de ataques. Será isso um complô elasmobrânquio? A obra de expansão no porto de Suape causou um desequilíbrio ambiental de grandes proporções no estado de Pernambuco. Uma área de estuário que era utilizada pelas fêmeas da espécie cabeça-chata para parir os filhotes foi aterrada. A espécie, considerada agressiva e de grande periculosidade para os seres humanos, é conhecida pela capacidade de sobrevivência em longos períodos na água doce, pasmem! Existem registros de encontros com esses animais há milhares de quilômetros adentro nos rios Mississipi e Amazonas. O instinto da espécie é parir seus filhotes perto de manguezais, como o estuário foi destruído os animais passaram a procurar outros lugares ao longo da orla. Outro fator que desencadeou essa série de ataques foi o relevo submarino da costa pernambucana. Um canal paralelo à costa conecta o porto de Suape ao estuário do rio Jaboatão, que fica localizado dentro do perímetro urbano recifense e bem próximo as praias frequentadas por numerosos banhistas. Ou seja, o animal não encontrando o estuário, segue o fluxo do canal e vai bater nas praias repletas de banhistas. A coisa ainda não acaba ai. A obra no porto criou canais para a passagem de navios de grande porte. Antes os recifes naturais, que dão o nome a cidade, isolavam as águas mais profundas criando uma barreira natural contra os animais. Esses canais acabaram se tornando vias expressas submarinas para a entrada destes predadores e para piorar ainda mais a situação, os navios que passam por esse local jogam lixo orgânico no mar atraindo ainda mais os animais famintos. Outro fator relevante foi a descoberta de um matadouro próximo as margens do rio Jaboatão. O gado era abatido e suas carcaças e sangue eram atirados diretamente ao rio, este desagua no mar. Tubarões conseguem distinguir uma gota de sangue diluída em um milhão de partes de água. E agora deu para perceber a situação? Temos animais famintos, sem seus locais de desova nadando em águas com um grande número de seres humanos.


Depois de toda esta cagada, o governo de Pernambuco achou uma maneira brilhante de se livrar do problema. O extermínio e a caça dos tubarões ainda é discutida no estado.


Sinto a perda de Bruna e imagino a dor que a família esta passando. Mas processar o estado não vai trazer a menina de volta e nem ao menos aliviar o sofrimento da família. Uma campanha de educação precisa ser feita urgentemente e soluções inteligentes devem ser providenciadas a fim de evitarmos mais perdas humanas.


TROFÉU VAI TOMAR UM UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

Para as brilhantes e inteligentes cabeças pensantes que planejaram a reforma no porto de Suape. A natureza, de maneira que não gostaríamos, reagiu a uma agressão sofrida e pessoas inocentes estão pagando com suas vidas.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Idiomas

Últimos Artigos

%d blogueiros gostam disto: