you're reading...
Brasil, Contato, Esportes, Política

Copa das confederaçõe$$$$$$.



Vai começar o grande teste para a copa do mundo de 2014. No próximo final de semana, Brasil x Japão fazem a abertura da copa das confederações, na mais importante praça futebolística da nação: Brasília. A capital Federal que possui times de primeira linha do cenário nacional, que seus clubes juntos são detentores de mais de vinte títulos brasileiros, que recordes de renda são quebrados a cada torneio por lá organizado, que possui um campeonato estadual de fazer inveja ao resto do Brasil tanto na qualidade como no equilíbrio, celeiro de craques e das maiores torcidas da nação pentacampeã. È justamente na capital que o estádio Mané Garrincha foi construído para esse grande triunfo nacional. Vamos mostrar ao mundo a nação organizada que somos, dando um show de transmissão, educação e honestidade. Depois da copa a construção permanecerá lá de pé, para que apreciemos clássicos inesquecíveis como Brasiliense x Gama ou quem sabe Ceilândia x Luziânia.


É claro que o texto acima não é sério, assim como esse país não pode ser levado a sério. Quando se falou em copa do mundo, a primeira grande preocupação era evidenciar que nenhum dinheiro público seria gasto na tal empreitada. O que mais se viu até o momento foi o nosso dinheiro, que pagamos de impostos, serem despejados em construções no mínimo absurdas, para não usar a expressão “ladroagem”. O leitor tem noção de quanto foi gasto em Brasília para a construção (falam em reforma) do Mané Garrincha? Quantos jogos teremos na capital Federal entre copa das confederações e copa do mundo? No Maximo 5? Não mais que dez, com absoluta certeza. E depois? Qual a média de público do campeonato Brasiliense? De acordo com dados da Federação Brasiliense de Futebol a final do campeonato estadual em 2012 tiveram 1094 testemunhas no primeiro jogo e 1060 no jogo de volta. Os dados referentes à 2013 não estão disponíveis. É um crime contra a nação a construção de um estádio com capacidade para 70 mil lugares, com um custo final de R$1,566 bilhões para abrigar alguns jogos e depois servir de palco para o campeonato Brasiliense.


A crítica é feita em cima de Brasília, mas também se estende a outros pólos em que o futebol não tem tradição. Os estádios em Mato Grosso e no Amazonas são mais dois exemplos de desperdício de dinheiro público. São praças com pouco público, ou alguém vai querer me convencer que clássicos como Nacional x Rio Negro ou Sinop x Mixto colocam 60 mil pagantes em um estádio? A arena em Natal também poderia ser um exemplo destes que citei, embora seja menos escandalosa pois seus principais clubes ABC e América estão sempre disputando a segunda e a primeira divisão do campeonato principal do país, o brasileirão. Mesmo assim os clubes amargam atualmente a lanterna e a vice-lanterna da série B.


Enquanto essas mamatas acontecem e o povo bundão, aceita tudo sem problemas, o prefeito da cidade de Juazeiro do Norte no Ceará ordenou a redução (acreditem) em 25% do ordenado dos professores do município. O projeto foi aprovado na Câmara e a classe esta indignada. A educação nunca foi e por um bom tempo não será prioridade no país. Enquanto existirem ignorantes funcionais, que não tenham capacidade de ler e debater sobre variados assuntos, mais estádios serão erguidos a custos maiores e todos encherão seus bolsos e viverão felizes para sempre.


Falando um pouco de futebol, o brasileiro é realmente muito otimista. Bastou uma apresentação meia boca contra o fraco time da França e todo mundo já fala em título e comenta que se o Neymar voltar a jogar muito no Barça, a taça do hexa já esta garantida. O Brasil bateu os franceses por 3×0 com alguns detalhes. O primeiro gol nasceu de uma falta não marcada no meia francês, o que já seria uma irregularidade. O segundo gol nasceu de uma tremenda falha no ataque francês, um jogador ficou de frente para a meta de Júlio Cesar, adiantou a bola e proporcionou o contra ataque que resultou no 2×0. E por último um pênalti já no fim do jogo que selou o placar. Eu confesso que não assisti ao jogo que todos estão comentando. O primeiro tempo foi lento e excelente para se tirar uma pestana de tão chato. No segundo o Brasil pouco ameaçou e conseguiu seus gols muito mais por erro do adversário. No próximo final de semana Brasil x Japão inauguram a copa das confederações em um grupo que não é fácil. O time de Felipão virou freguês dos Mexicanos nos últimos anos, tem um adversário sempre complicado que é a Itália e o Japão que pode ser o ponto fraco do grupo. Um excelente teste para a seleção pentacampeã seria um confronto com a Fúria Espanhola. Vamos aguardar para ver.


No brasileiro o técnico rubro negro Jorginho caiu. Até o momento a diretoria não se decidiu por um nome, apesar de Mano Menezes (só faltava essa) ganhar força nos bastidores da Gávea. O ex-lateral Jorginho está longe de ser um técnico ruim, porém ainda tem que comer muito arroz com feijão. A carreira de técnicos de futebol tem que ser galgada em etapas, com calma e sabedoria. Não adianta um técnico sem experiência em grandes clubes ter saído do Figueirense, onde fez um bom trabalho, e pegar um Flamengo ou um Corinthians. É diferente sim, a pressão é bem maior, a cobrança é maior e as críticas são pesadíssimas. Torço para que o antigo auxiliar de Dunga consiga um novo emprego, mas sem querer abraçar o mundo com as mãos. Potencial para isso o rapaz tem. Lembrem-se do caso de Ney Franco, um técnico até então desconhecido do Brasil que fez sucesso nas Minas Gerais com o pequeno Ipatinga. Ney saiu do time mineiro e foi dirigir o Flamengo. Foi campeão da copa do Brasil fazendo apenas a final do torneio, já que o Mengo eliminará na ocasião o próprio Ipatinga sendo feita a oferta após a semifinal. Desde então Ney nunca repetiu as boas atuações que o consagraram na equipe das Gerais. Não houve uma evolução de sair de um time pequeno para um médio e assim sucessivamente. Seja lá como for o interino Jaime de Almeida, figura conhecida dos anos 70 no clube carioca, conseguiu uma vitória sobre o Criciúma que poucos esperavam. Este blogueiro é consciente que o rubro-negro não irá disputar título e nem brigar por vagas na libertadores, mas que Jaime permaneça e livre o Flamengo das quatro últimas posições evitando assim técnicos com salários absurdamente fora da realidade em território nacional.


O prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes, declarou em tom de brincadeira nesta semana que caso a Argentina batesse o Brasil em uma final de copa do mundo em território nacional, ele cometeria suicídio. O problema neste caso é, sabido por toda população brasileira, que políticos nunca cumprem suas promessas. Caso fosse um país sério, com políticos verdadeiros, o senhor pode ter certeza que este blogueiro iria ao estádio torcer pelos hermanos, juntamente com outros milhões de cariocas, e cobrar suas promessas de campanha. Depois não sabem por que no Rio o chamam de “Paespalho”.


TROFÉU VAI TOMAR UM UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
Centenas de milhares na parada gay em São Paulo, muitos na marcha da liberação pela maconha, protestos violentos contra o aumento de passagens em várias capitais. Porque o povo não faz o mesmo contra a corrupção?

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Idiomas

Últimos Artigos

%d blogueiros gostam disto: