you're reading...
Brasil, Esportes

Um dia de futebol !



O que aconteceu no último final de semana na cidade de Manchester, na Inglaterra, foi um acontecimento desses que só passam pelo planeta terra uma vez a cada bilhão de anos. O excelente comentarista da ESPN, Mauro César, chegou a questionar-se como um ser humano poderia não gostar do velho esporte bretão. Um jogo simplesmente emocionante, digno de caixas de isordil e dos mais variados calmantes. O Manchester City, time da casa, jogava por um resultado igual ao rival e maior vencedor de títulos na Inglaterra, o Manchester United. As equipes chegaram à última rodada empatados em número de pontos ganhos, o City levava vantagem no primeiro critério de desempate, o saldo de gols. O City saiu na frente do placar ainda na primeira etapa, mas no segundo tempo o jogou mudou para entrar para a história. Em uma falha de um zagueiro, o Queens Park Rangers chegou ao empate contra o City, resultado que dava o título ao United que derrotava seu adversário, o Sudderland, pela contagem de 1×0.  O time azul de Manchester começou a ficar nervoso, mas a situação parecia melhorar com a expulsão de um atleta adversário. Mas não foi o que aconteceu, em um contra ataque rápido o QPR virou o jogo para desespero de todos no estádio. O que se viu a seguir foram atletas nervosos arriscando chutes de qualquer lugar, porém sem direção. Até o técnico italiano Roberto Mancini a beira do gramado, de cócoras parecia não acreditar. Nas arquibancadas a situação era pior. Torcedores do City choravam copiosamente, cenas de raiva e rostos incrédulos que presenciavam aquela tragédia caseira. Muitos do que acompanhavam pela televisão não acreditavam mais no triunfo do mandante quando o cronômetro marcava 45 minutos da etapa final. O campeonato estava decidido. Pois aconteceu o que ninguém poderia prever. Aos 46 minutos após uma cobrança de escanteio o City, o bósnio Dzeko empatou a partida. A partida foi reiniciada o QPR tentou segurar a bola no ataque sem sucesso e o City iniciou um contra ataque. Coube ao argentino Aguero receber a bola do italiano Mario Balotelli, depois de uma tabela entre ambos, penetrar na área, levar um pisão de um defensor e bater com força para vencer o goleiro adversário. O relógio marcava 49 minutos, apenas 60 segundos antes do tempo estipulado pelo arbitro, para o fim da peleja. As cenas seguintes são indescritíveis, festa entre os jogadores, torcedores loucos no estádio e os próprios dirigentes pulando a beira do campo feito crianças em uma festa infantil. O City levantou o título após 44 anos de espera no pior estilo. Um feito cruel que deve ter levado muitos torcedores para o hospital após a conquista. Uma vitória do futebol mundial. Quem não viu o jogo perdeu uma das maiores batalhas dos últimos tempos.


A Juventus já havia conquistado o título na semana passada, quando impôs uma derrota ao Gênova enquanto o Milan era derrotado pela Internazionale. Ao abrir quatro pontos de vantagem sobre a equipe de Milão, a última rodada seria apenas um simples amistoso, tendo como a atração principal a festa da conquista junto a sua torcida. Pois a velha senhora fez o dever de casa, batendo a Atalanta por 3×1 e entrando para a história do cálcio. A equipe de Turin tornou-se campeã de maneira invicta, feito conseguido da última vez pelo Milan nos anos 90. A Juventus é a maior detentora de títulos na Itália e não conquistava o scudetto desde 2002. Após essa data a equipe se viu envolvida em um escândalo por causa de dois dirigentes, sendo rebaixada para a segunda divisão. O time se esfacelou, craques foram embora e a vida da Velha Senhora esteve a fio durante alguns anos. Nessa temporada os dirigentes apostaram em Antonio Conte, um ex-jogador, para o comando da equipe além de reforçar o time com Andrea Pirlo, dono de uma rara inteligência em campo além de um refinado toque de bola. A outra festa, esta particular, em Turin foi para o maior artilheiro da Juventus. Alessandro Del Piero já com 37 anos, dificilmente continuará na equipe e deverá optar por mais uma temporada em uma equipe pequena ou até mesmo a aposentadoria. O rapaz foi premiado com o segundo gol contra a equipe de Bergamo e deixou o estádio sob aplausos da fanática torcida Bianconera.


Há 30 anos, morria nas pistas da Bélgica um segundo maior piloto de fórmula um de todos os tempos. Em um sábado, dia 8 de maio de 1982, era disputado os treinos de classificação no circuito de Zolder, na Bélgica. O piloto Gilles Villeneuve entrou na pista para tentar melhorar sua posição no grid. O canadense havia aquecido os pneus e havia aberto sua volta e conduziu sua Ferrari de maneira agressiva como sempre o fazia. Em uma das curvas do circuito Jochem Mass, da March, comemorava seu 100º grande prêmio e acabará de marcar o seu tempo. O alemão vinha lento voltando para os boxes quando olhou para o retrovisor e enxergou a Ferrari na sua cola. Mass desviou o carro para que a melhor trajetória ficasse para o canadense. A Ferrari 312T4 bateu na traseira da March e decolou e se desintegrou em pleno ar. Ao colidir com o chão o carro sofreu várias capotagens e o Canadense foi catapultado do carro preso ao banco. Vileneuve sofreu múltiplas fraturas e faleceu aos 32 anos de idade. O rapaz não ganhou muito, disputou 67 Gps, obteve seis vitórias e duas poles. Porém a época era outra. O louco canadense era um show a parte, tive oportunidade de vê-lo em ação no Brasil e os torcedores tinham um carinho especial pelo gênio. Em outras corridas o cara conseguia segurar uma fila atrás dele com o aerofólio dianteiro quebrado. Isso sem falar na batalha épica com Rene Arnoux em um grande prêmio da França, quando ambos disputaram palmo a palmo a melhor colocação durante várias voltas. Foi sem dúvida o segundo melhor piloto de todos os tempos. Um tempo em que a fórmula um não era feita de trambiques, caloteiros e o público não eram os palhaços do atual circo.


Assistindo a reportagem de um programa dominical sobre o desvio de dinheiro público do tribunal de justiça, do Rio Grande do Norte, eu cheguei a seguinte conclusão. No Brasil não vale a pena ser professor. Apenas as diárias do hotel em Paris durante as férias da senhorita e seu prezado marido, totalizaram 11 mil euros por dia. Fora os “trocos” que sobravam de transações. Coisa pequena, troco mesmo, valores irrisórios de 200 mil ou um pouquinho mais.


Acabaram os estaduais e nenhuma surpresa aconteceu. No Rio, São Paulo e Santa Catarina os títulos já haviam sido definidos nos primeiros jogos. O Fogão não entrou em campo contra o Flu e o Guarani não é páreo para Neymar e companhia. Em Florianópolis talvez tenha acontecido a final mais curiosa. O Figueirense faturou os dois turnos, e mesmo assim teve que fazer a final contra o Avaí. Na primeira partida o Leão da Ressacada decidiu praticamente o campeonato fazendo 3×0. Qualquer semelhança com o Corinthians é mera coincidência, mas como os dirigentes do Figueira concordaram com o método de disputa, não podem reclamar. No sul deu Inter que jogou um pouco assustado ainda pela eliminação na Libertadores. Na boa terra o Bahia voltou a conquistar o título  contra o rival, parabéns ao técnico Falcão e que o mesmo consiga fazer uma boa campanha no Brasileiro, a torcia baiana merece.  No Recife a fanática torcida do Santa contribui para que o time conquistasse o bicampeonato Pernambucano em plena ilha do Retiro e batendo o rival no dia do aniversário do mesmo. Em Curitiba o segundo empate no segundo jogo levou a decisão para os pênaltis e o Coxa levou a melhor sobre o Furacão.


A lista dos convocados pelo técnico Mano Menezes para a disputa de amistosos em maio e junho é de arrepiar. O comandante chamou Pato, que vive no estaleiro, Davi Luis que também já não atua há mais de dois meses, um tal de Neto que é goleiro da Fiorentina entre outras pérolas. Alguém realmente acredita que Mano seja o técnico ideal para comandar o Brasil?


E o Santos respondeu na bola as agressões sofridas na Bolívia. O time fez até gol de calcanhar, obra prima de PH Ganso e de quebra Neymar finalmente se apresentou ao técnico do time do….como é mesmo o nome do time? Resultado 8×0 !


TROFÉU VAI TOMAR UM UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

Para o atacante Jobson. A diretoria do Fogão deu inúmeras chances ao jogador que era promissor e o ‘caque’ não aprendeu. O ex-artilheiro está na barca dos que vão deixar o Glorioso.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Idiomas

Últimos Artigos

%d blogueiros gostam disto: